O Futuro da Educação Chegou!

Hoje, vivemos em uma era pós-tecnológica e épica, e não episódica; a tecnologia faz parte de nossas vidas de um jeito que nem nos damos conta; e a velocidade das mudanças que vivenciamos não tem precedentes na história humana.

Isso significa que os padrões da época anterior já não respondem à dinâmica da sociedade. Estes padrões começam a ser questionados por indivíduos que ganharam voz por meio da tecnologia e desafiam tudo que era dado como “certo”. O problema é que as instituições, especialmente as de ensino, ficaram em um mundo que não existe mais.
Antes da tecnologia, a velocidade das mudanças era menor, mas hoje o mundo muda em uma

Se uma pessoa, como na história da Bela Adormecida, adormecesse no ano de 1100 e só acordasse em 1500, ou seja, 400 anos, ela ainda assim conseguiria se movimentar e se adaptar ao mundo. Já uma pessoa que caísse em sono profundo em 1990 e acordasse hoje, 27 anos depois, teria dificuldade em se comunicar e viver neste mundo. Já imaginou alguém falando para ela “Me passa um zap-zap…”? Ela não entenderia nada!
Infelizmente, a educação é uma das áreas que menos se desenvolveu. A sala de aula da grande maioria das escolas é exatamente igual há 150 anos, tratando todos os alunos da mesma forma.

Muita gente foi criada pensando que era incompetente ou limitada para aprender, já que não se sentia motivada pela maneira única de ensinar, ou por não ter seu estilo respeitado e não ter espaço para questionar isso. Será que em uma turma de 30 pessoas todas aprendem do mesmo jeito? Seria muita sorte ou coincidência, e como eu não acredito nisso…

Antigamente, as escolas – a maioria hoje ainda funciona assim – insistiam em enquadrar todos os alunos em um modelo padrão e ensinar da mesma forma, desprezando e sufocando seus jeitos únicos de ser.

O famoso psicólogo de Harvard, Howard Gardner, abalou o mundo na década de 80 com sua teoria das inteligências múltiplas. 

Esta teoria diz que existem vários tipos de inteligências (linguística, naturalista, interpessoal, lógico-matemática, espacial, intrapessoal, corporal-cinestésica, musical e existencial), o que nos faz ver e entender o mundo de formas diferentes. 

O mundo mudou e precisamos de gente que pense de forma criativa, inovadora, crítica e independente, com habilidade de se conectar aos outros e com os problemas inerentes a esta nova era. Precisamos de gente que questione o status quo para promover o desenvolvimento da sociedade.

Não existem pessoas iguais. Somos hoje mais de 220 milhões de pessoas no Brasil e mais de 7 bilhões no mundo. Uma população gigantesca clamando por melhorias na qualidade de vida, por soluções novas para problemas antigos.
Quem tem mais de um filho sabe disto: podemos criá-los com os mesmos valores, com os mesmos padrões e eles respondem e agem de formas diferentes.
Se um clínico-geral receitasse o mesmo medicamento para todos os seus pacientes, o resultado seria trágico.


Se somos todos indivíduos únicos, como podemos aprender todos da mesma forma?
Como podemos ter um futuro diferente e melhor, se agirmos da mesma maneira?


E na escola tradicional ou nos cursos tradicionais, é exatamente isto que acontece. Todos são obrigados a aprender da mesma forma e com o mesmo material, mesmo tendo necessidades diferentes, sonhos diferentes, medos diferentes, limitações diferentes e talentos diferentes.

 

Os professores exercem o trabalho mais importante do planeta e são “obrigados” a ensinar a todos da mesma forma.

Nós questionamos isto, entendemos as diferenças e estamos tornando possível o sonho de milhares de pessoas. Inovamos a forma de ensinar. Nós temos muita esperança nas pessoas, queremos viver na intersecção da tecnologia e do ser humano. A tecnologia existe para facilitar e melhorar a nossa vida e, por meio dela, criamos um modelo inovador de educação para você aprender e se desenvolver.
Oferecer diversas formas para aprender o mesmo conteúdo estimula a percepção, a atenção, a associação, a memória, o raciocínio, a imaginação, o pensamento e a linguagem.

De maneira mais simples, estamos investindo na forma como o cérebro percebe, aprende, recorda e pensa sobre toda a informação captada através dos cinco sentidos. Significa que, aqui, todo o conteúdo estará disponível em mapas mentais, vídeo-aulas, podcasts, e-books e slides. Diferentemente dos cursos ou escolas que existem por aí, no Mundo-e você acessa o conteúdo principal em todos esses formatos e ainda tem leituras, vídeos e conteúdos complementares. Aqui, você define como quer aprender e quanto conteúdo precisa para se desenvolver.

E para você usufruir de todos os benefícios desta multiplicidade de conteúdo, nós desenvolvemos um TESTE DE PREFERÊNCIA DE APRENDIZAGEM, para sabermos qual formato se adapta melhor ao seu jeito.

Benefícios em conhecer seu estilo de aprendizagem:

  • Assumir a melhor postura frente aos desafios do seu aprendizado, maximizando os recursos.
  • Perceber os melhores métodos de aprendizado para você.
  • Se tornar um ser humano melhor.
  • Aprender em vez de decorar para passar em uma prova ou teste.

 

Além disso, o Mundo-e é inclusivo. Carla Weisz, idealizadora e fundadora do Mundo-e, conta: “Um dia, eu assisti uma reportagem onde uma pessoa com dislexia falava sobre sua dificuldade em ler para aprender algo, e aquilo tocou meu coração. Todos deveriam ter o mesmo direito de aprender. 

 

 

 

Uma pessoa com déficit de atenção deveria ter conteúdo em formato gráfico, e não textos longos; uma pessoa criativa deveria aprender com imagens, e assim por diante”.


Hoje, além da escola ser um espaço de difusão de conhecimento, ela deve ser também um espaço de pensamento sobre este conhecimento. Por isso, nossos cursos buscam provocar a reflexão, oferecendo ferramentas e técnicas para você ter melhor resultado em qualquer dimensão da sua vida.

Queremos tocar o seu coração para que você tenha prazer em aprender.

Bem-vindo ao Mundo-e! Aqui, você pode aprender em vários formatos, para fazer sua história fluir.